Archive for janeiro, 2010

Meu lado filósofa

janeiro 31, 2010

O mal pros que têm imaginação fértil é a facilidade de inventar coisas e o risco de perder-se nelas.

E tenho dito (experiência de vida).

I Know too much about the wild

janeiro 27, 2010

Maybe that´s the reason they keep searching me.

Meu lado teóloga

janeiro 26, 2010

As vezes penso que um dia deus pode me castigar por escrever esse caderno. Isso seria realmente um problema se eu acreditasse em deus. Mas não só não acredito como o escrevo em minúsculo como se escreve casa ou televisão: deus. Mas se deus fosse Deus desses imperadores impiedosos como no velho testamento, talvez ele me castigasse menos pelo meu caderno que pelo meu Ego. Sim eu tenho um Ego enorme. Bem mais maiusculo que deus.

Manual

janeiro 26, 2010

Será que nossos problemas com ego, estima, sociedade, essas coisas, nunca acabam? Ou será que isso é problema de mulher? Deus pirou tanto com o nosso design que se destraiu da hora da composição química, nos deixando uns tais hormônios excessivamente instáveis. Vocês estão me entendendo? Acho que não. Então… Almodovar, ele entende a nós, mulheres, como ninguém.

Meu reino por uma bola de sorvete de pistache

janeiro 26, 2010

Gosto muito mais de Deus quando identifico nele certas humanidades, e fico realmente muito feliz de que ele não exista pois a história comprova o que se passa pela cabeça de uma pessoa em situações de poder extremo.

Ontem vi um filme do Quentin

janeiro 26, 2010

Play antes de ler

.

.

Capítulo 1:

O Acerto de Contas

O sol lhe ardia as costas, mas isso pouco importava. Caminhava em direção ao carro a passos largos, coluna ereta, peito firme. Mantivera a postura sóbria levemente dissimulada em um olhar desconfortável quando entrou na casa. Metodicamente ensaiado desconforto nos olhos frente ao espelho retrovisor enquanto dirigia pacientemente, 60km/h, acumulando ânsia em revidar cada ultraje imposto nesses anos de forçada devoção. O tempo em exílio só potencializou as coisas. Tinha planejado, e como tinha planejado retorno exatamente às 13h dessa terça-feira conforme os repugnantes hábitos do sujeito alvo. Sim, alvo, ponto amarelo centro dos arcos branco e vermelhos intercalados, para onde convergem todos os raios da circunferência e, como uma Nikon de foco manual escolhendo cautelozamente o enquadramento, tocou a campanhia. Uma breve visita.

Saiu de lá a passos largos, coluna ereta, peito firme, direção ao Tauros carmin isolado na esquina. O sol lhe ardia as costas mas isso pouco importava. Teve uma satisfação enorme ao estourar os miolos do filho da puta. Deus, lhe abençoe a alma.

.

.

Sim, meu senhores, voltei a escrever.

Em breve disponibilizarei esse ímpeto ficcional para download. Para quem costumava ler o nathaliaq.blogspot, aguarde.

NathaliaQueiroz

.

>> O filme: Jackie Brown (mas poderia ter sido qualquer outro do Quentin)

Para outros contos e crônicas, TAG Inverossímeis.

Kiss me

janeiro 19, 2010

Play it again! And again! And again!

janeiro 19, 2010


Inesperadíssimo, sem caixinha, já no drive, modo ON. Por algum motivo obscuro eu nunca tinha me dedicado ao Obscured by the Clouds, Pink Floyd. Mas ele estava ali pronto, estranha e inesperadamente no som do carro da minha mãe e me fisgou já na primeira música – que na verdade foi a faixa 07, Childhood´s End. Vai, eu estava numa baita ressaca – 5 ou 6 caipirinhas + 1 cerveja + 3 cigarros – e esse climão melancólico caiu como uma luva, principalmente num dia chuvoso como esse domingo. Sei que sentada ali no carro, fiquei me perguntando por que não guardei um pouco do tempo me acabando em Dark Side of The Moon e Wish You Were Here para o Obscured by Clouds em tempos atrás? Já tinha visto tantas vezes esse álbum de bobeira no quarto de Rapha (meu irmão). Tamanha, tamanha burrice nunca ter sido uma ouvinte curiosa e ter me entregue à acomodação dos lugares comuns, porque o álbum é simplesmente Incrível!!!

E então, seguindo viagem, eu e minha estranha mania de repetir as faixas escutamos só a faixa 05 (Wot´s… Uh the Deal) umas quatro vezes. O que foi uma pena porque tardou mais a chegada da faixa 09 (Stay) que eu escutei umas cinco ou seis vezes, mas só depois de ouvir a Childhood´s End umas três vezes mais. Com muito, muito esforço consegui chegar à faixa 10, pra depois repetir a 05, a 07 e a 09. Será esse tipo de fixação algum grau de loucura?

A única coisa que me deixou triste foi a estranha “semelhança” na introdução de Wot´s… Uh the Deal com uma baladinha da fase “Músicas para Novela das 8h” dos Titãs. Fico muito chateada com esse tipo de coisa porque esses roubos maculam o feeling que certas canções causam na gente. O Bowie sofreu muito com isso. Madonna, coitada, não que a versão original fosse magnífica, mas “tocada pela primeira vez” mazelou total.

Pois é, a faixa 05 foi maculada. Mas mesmo assim, os Titãs não roubaram dela o brilho e ela mereceu aquelas tais compulsivas repetições.

aaahhhhhhh……

janeiro 18, 2010

playing now

janeiro 12, 2010

.

.

“belezas são coisas acesas por dentro…” Jorge Mautner

|>| Lágrimas Negras, por Gal

.

.